Desafios e evolução do marketing digital

Shapers | 27/09/2018 | 5 minutos Tendências

O marketing evoluiu e não vai parar por aí. Entenda quais são as próximas tendências que impactarão suas estratégias digitais

Mal chegou aos livros e à academia, e o termo marketing digital já é considerado mainstream. Por anos seguidos, os profissionais de marketing participaram de dezenas de palestras e workshops sobre o tema e traçaram outra dezena de estratégias para as empresas onde atuam para atender ao desafio. Esse excesso de informação fez com que o marketing digital passasse a ser um grande aliado ou o arqui-inimigo de muitos.

Quem soube navegar nas águas instáveis da transformação digital provavelmente cumpriu os objetivos, mas esse mar ainda reserva muitas mudanças para seus tripulantes? O cenário é incerto, mas indica algumas pistas.

Evolução do marketing

Se você já está familiarizado com o termo Inbound Marketing, já ouviu falar sobre marketing de conteúdo e sobre como a era digital trouxe um novo processo para consumidores e vendedores.

Antes da internet, as campanhas e o relacionamento com o público baseava-se basicamente em outdoors, anúncios de TV, rádio, revista e jornal, constituindo o método conhecido como marketing de interrupção, que impactava os consumidores na paisagem das grandes cidades, nos intervalos e entre uma página de conteúdo e outra.

Hoje, o usuário vai ativamente ao encontro de informações sobre o produto que deseja comprar nas ferramentas de pesquisa. Então entra em cena o marketing de permissão, onde 60% do processo de compra já está feito quando o consumidor entra em contato com o vendedor.

A revista da companhia de máquinas agrícolas The Furrow, criada em 1895 e publicada até hoje, se tornou o marco inicial do marketing de conteúdo, pois trazia informações relevantes para os principais compradores do seu produto: os fazendeiros. De lá pra cá, o marketing passou a entender que, para vender o peixe, é necessário conhecer as necessidades do consumidor, oferecer a isca certa, manter relacionamento e só depois, quando ele já souber que a sua empresa é autoridade no assunto, mostrar como a sua empresa pode ajudá-lo a solucionar determinado problema.

Outro ponto importante da evolução do marketing é a aproximação cada vez maior do marketing com as áreas estratégicas das corporações. Nas decisões mais decisivas, o marketing está à mesa.

Tendências do marketing digital

Até aqui, a jornada do marketing já foi muito intensa e de grandes aprendizados, porém, a única certeza é que muita coisa ainda está por vir nessa área. Abaixo, você pode conferir algumas apostas dos especialistas de marketing para os próximos anos:

Conteúdo original e de qualidade

A alta produção de conteúdo é uma realidade hoje e 70% dos consumidores afirmam que marketing de conteúdo cria uma aproximação com a empresa, segundo pesquisa da Hubspot. Entre as metas de inbound marketing das grandes empresas, estão SEO, automação e criação de conteúdo, indo de encontro ao principal objetivo listado por elas: “gerar tráfego e leads” (67%, como indica o Relatório Estado do Inbound 2017).

Porém, hoje, o grande desafio está em produzir conteúdos memoráveis e não ser apenas mais um post blog em meio aos zetta bytes que circulam na web.

“Os principais pontos são: 1) qualidade é importante e 2) não precisamos de mais conteúdo. Precisamos de conteúdo mais relevante.” (Ann Handley)

Entende-se que hoje as empresas devem focar os esforços em produzir uma quantidade menor de conteúdo, porém com mais qualidade. E uma dica importante também é aproveitar os formatos em áudio nas estratégias de conteúdo.

O boom do streaming

Fala-se muito sobre a relevância dos conteúdos em vídeo para as empresas, porém poucas produzem esse formato, muitas vezes devido à dificuldade de produzir um conteúdo bacana, limitação de equipamentos ou planejamento. Hoje, o vídeo não é apenas uma tendência, mas uma realidade estratégica. E quem sair na frente vai colher bons resultados.

Um formato que está sendo bastante explorado e exige uma produção relativamente menor são as transmissões ao vivo. 55% das empresas indicam que pretendem investir seus esforços na criação de vídeos para o Youtube, à frente de Instagram (53%) e LinkedIn (43%), por exemplo. Além disso, 50% também planejam investir em produção de vídeo para o Facebook. Se no seu mercado nenhum concorrente produz vídeos, é a hora de começar.

Outro grande passo para o formato de vídeo será o uso da realidade virtual, com a finalidade de ajudar no processo de compra. Um exemplo prático é a aplicação dessa tecnologia venda de apartamentos a partir da simulação de uma planta decorada.

Inteligência artificial e chatbot

Um caminho relativamente novo e ainda pouco explorado é o uso da inteligência artificial e dos chatbots nas estratégias de comunicação e marketing.
Os chatbots são robôs que conversam com os usuários, realizam agendamentos e outras atividades programadas, simulando o comportamento humano. Porém, aliado com a inteligência artificial, eles podem ir além, respondendo corretamente perguntas que não estão no “script”.

Um exemplo do uso de inteligência artificial para produção de conteúdo foi o jornal francês Le Monde, que usou automação nas eleições departamentais de 2015 para criar 150 mil textos curtos durante 4 horas (625 notícias por minuto). Não, não é o fim dos criadores de conteúdo, mas surge a possibilidade de aliar a agilidade dos robôs à criatividade e empatia humana. E onde isso pode parar? Impossível prever.

Para empresas que querem manter uma cultura de inovação e competitivas no mercado, vale a leitura do post blog sobre metodologias ágeis. Leia também! 


Shapers
Shapers 27/09/2018 | Tendências
Você merece conteúdo de qualidade. Assine nossa newsletter. Cadastre seu e-mail ao lado e receba conteúdos exclusivos, insights e tendências. Fácil assim.
Campos com (*) são obrigatórios